<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5669356\x26blogName\x3dThe+Amazing+Trout+Blog\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://theamazingtroutblog.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://theamazingtroutblog.blogspot.com/\x26vt\x3d-5897069651571143186', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

terça-feira, janeiro 23, 2007

A Propósito do Sexo...

...Feminino, entenda-se. É que só me posso regozijar por ter por amigos e amigas pessoas que, tal como eu, redefinem constantemente os seus papéis sociais. É que a maternidade não é uma doença, nem o derradeiro sacrifício pessoal, nem o píncaro da existência de todas as mulheres. Ser mulher não é igual a ser homem. Ser mulher é ser igual a si própria. E ser homem é ter tomates para repensar o seu papel num mundo onde a igualdade de oportunidades transforma os tradicionais "espartilhos" numa variedade de opções que permite a realização pessoal intrínseca a cada ser humano, independentemente da raça, cor, sexo ou credo. É por estas e por outras que as deambulações por alguns blogs me deixam mesmo a pedir pelo Guronsan... Aos senhores e senhoras para quem ser mulher é ter direito a ter um homem que lhe carregue o saco das compras, que lhe defenda a honra das pretensas ofensas alheias, lhe abra a porta e a deixe passar primeiro e lhe dê o lugar no autocarro, o meu muito obrigado por não fazerem parte da minha existência. Dispenso-os(as) a todos(as).