<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5669356\x26blogName\x3dThe+Amazing+Trout+Blog\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://theamazingtroutblog.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://theamazingtroutblog.blogspot.com/\x26vt\x3d-5897069651571143186', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

quinta-feira, maio 26, 2005

Cuidado Casimiro!

Mais um post brilhante do Miguel, seguido de várias réplicas também a ler atentamente. É preciso mesmo pensar a contrapelo, é preciso não acreditar que a política seja uma mera conta de receitas e despesas de mercearia. E é preciso não desistir. Estamos cada vez mais perto do capitalismo selvagem e terceiro-mundista. Levámos o século XX a achar que a liberdade e a igualdade se iam espalhar e solidificar pelo mundo, mas ainda são demasiado frágeis. Muito mais frágeis que a fome de poder, a ganância e a cobardia política. E é por isso que a nossa vida continua, três anos depois, a ser comida pelo papão do défice. É por isso que nos dizem que temos de vomitar o que ainda não comemos enquanto os off-shores, os benefícios na banca e na bolsa, o sigilo bancário a sete chaves guardado são protegidos e nutridos e têm fraldas mudadas com elevo várias vezes ao dia. Não se enganem, meus amigos, só a forma é que é nova, porque há praticamente trinta anos que vivemos assim. E como se não bastasse, agora ainda nos espetam com um D.Sebastião de cara de pau e que solidificou em dez anos o que Portugal é hoje.

Já há mais de dez anos que oiço dizer que a Segurança Social não pode continuar como está, senão "isto" rebenta. Lembro de que já então, o comuna do Mário Castrim fez uma pergunta que eu continuo a repetir até hoje: "Isto", o quê? Os carros de luxo? As casas de luxo? As viagens de luxo? A corrupção? A fuga ao fisco, ou seja, a exploração desenvergonhada do trabalho de toda uma população? A acumulação escandalosa de meia-dúzia de fortunas enquanto a todos os que o têm contado se pede para apertarem o cinto? A mediocridade e a mesquinhez da visão do que é um país? É isso o que rebenta? Pois QUE REBENTE! QUE EXPLUDA!

Até quando vamos engolir estas desculpas esfarrapadas, até quando vamos acreditar que a economia é uma terrível e inexorável força do universo e não uma escolha política? Até quando vamos aceitar de cabeça baixa sermos a massa de escravos que alimenta panças e peidas e luxos? Quando é que vamos perceber o que significa "DeMoCrAcIa"? Já nem é o Big Brother que está a observar-nos, é o próprio D.Ubu. É dar finança, a D.Ubu, dai a finança toda, a D.Ubu. Que não reste nada, que nem um tostão escape - aos rapaces rufias que a vêm buscar -, dai toda a phinança, a D.Ubu!

Cuidado, mas muito cuidado com as imitações...