<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5669356\x26blogName\x3dThe+Amazing+Trout+Blog\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://theamazingtroutblog.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://theamazingtroutblog.blogspot.com/\x26vt\x3d-5897069651571143186', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

segunda-feira, setembro 26, 2005

Hipocrisias

No mundo da moda é bom parecer-se perigoso, mas é péssimo ser-se apanhado em flagrante a sê-lo... Mais ou menos assim se resume hoje na Pública o "caso" Kate Moss. Todo este escândalo pateta me faz lembrar os contratos dos programas da Disney, por exemplo, que proíbem os apresentadores de serem vistos em público numa série de situações - não me lembro se os bares gay estão incluídos, mas tenho memória de conversas a propósito com colegas e da piada da praxe, "não vão os pais dos miúdos ver-te lá, eheheh..."


Fotografia de Mario Testino

Considerando que falamos do rosto marcante do polémico heroin chic dos anos 90, da nossa senhora do mito da anorexia fashion, sabendo das estreitas ligações entre a moda e as drogas da "alta" como a cocaína, e sobretudo olhando para esta mulher estonteante que só tem de posar maravilhosa para a objectiva de fotógrafos talentosos que, para bem dos costureiros, querem fazer pela vida e não só pela arte, às empresas que em aflição lhe cancelaram os contratos só me ocorre dizer: Get a life!